Calculadora de Fração de Ejeção
cardiologia

Calculadora de Fração de Ejeção

A Calculadora de Fração de Ejeção é uma ferramenta usada para avaliar a função de bombeamento do coração. A fração de ejeção expressa em porcentagem quanto de uma câmara (geralmente o ventrículo esquerdo) o coração esvazia em um batimento cardíaco.

A Calculadora de Fração de Ejeção é uma ferramenta usada para avaliar a função de bombeamento do coração. A fração de ejeção expressa em porcentagem quanto de uma câmara (geralmente o ventrículo esquerdo) o coração esvazia em um batimento cardíaco. Esta calculadora é importante para avaliar a função cardíaca e monitorar condições como insuficiência cardíaca.

Ao usar a calculadora de fração de ejeção on-line: você pode calcular inserindo o volume sistólico e o volume diastólico final.

 


 

Volume sistólico
mL
Volume diastólico final
mL
Partilhar por e-mail

    3 Número de cálculos utilizados hoje
    Adicionar ao seu site Adicionar ao seu site

     


     

    Como é calculada a fração de ejeção?

    A fração de ejeção expressa em porcentagem quanto de uma câmara (geralmente o ventrículo esquerdo) o coração esvazia em um batimento cardíaco. A fração de ejeção é calculada medindo a quantidade de sangue dentro do ventrículo esquerdo com um agente de contraste ou métodos de imagem como a ultrassonografia. A seguinte fórmula é usada para o cálculo:

    Fração de ejeção = (Volume de enchimento de pico – Volume de descarga de pico) / (Volume de enchimento de pico) x 100

    Onde;

    • Volume de enchimento máximo: Momento em que o músculo cardíaco relaxa e o ventrículo esquerdo recebe mais sangue.
    • Volume de pico de descarga: Momento em que o ventrículo esquerdo retira menor quantidade de sangue.

    Nesta fórmula, a diferença entre o volume máximo de enchimento e o volume máximo de esvaziamento indica quanto do ventrículo esquerdo está esvaziando em cada batimento cardíaco. Este valor é dividido pelo volume de pico de enchimento e expresso em porcentagem.

    A fração de ejeção é geralmente expressa como fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FE-VE) e é usada como indicador da função cardiovascular. Em um indivíduo saudável, a fração de ejeção do ventrículo esquerdo geralmente deve estar entre 50% e 70%. Uma fração de ejeção baixa pode indicar problemas cardiovasculares, como insuficiência cardíaca.

    O que é fração de ejeção?

    Fração de ejeção é um termo que expressa em porcentagem a quantidade de uma câmara (geralmente o ventrículo esquerdo) que o coração esvazia em um batimento cardíaco. Durante um ciclo de batimento cardíaco, parte do sangue do ventrículo esquerdo é bombeado para as artérias (outras partes do corpo). A fração de ejeção mede a taxa desse processo de esvaziamento.

    Em um indivíduo saudável, a fração de ejeção do ventrículo esquerdo geralmente deve estar entre 50% e 70%. A fração de ejeção é considerada um indicador da função de bombeamento do coração e é importante na avaliação de problemas cardiovasculares, como a insuficiência cardíaca.

    Como é medida a fração de ejeção?

    A fração de ejeção geralmente é medida por vários métodos diferentes, mas os mais comuns são os métodos de imagem. Alguns desses métodos são os seguintes:

    1. Ecocardiografia (ECO): A ecocardiografia é um método de imagem médica usado para visualizar a estrutura e a função do coração por meio de ondas sonoras. A fração de ejeção do ventrículo esquerdo é calculada com base nas medidas do volume ventricular esquerdo e do volume sanguíneo durante a ecocardiografia. Essas medidas determinam os volumes cheios e vazios de sangue no ventrículo esquerdo e esta informação é usada para calcular a fração de ejeção.
    2. Imagem por ressonância magnética (MRI): A ressonância magnética é outra modalidade de imagem usada para avaliar a estrutura e função do coração. Ao fornecer imagens de alta resolução, a ressonância magnética pode medir diretamente o volume ventricular esquerdo e o volume sanguíneo. Essas medições são usadas para calcular a fração de ejeção.
    3. Imagem de radionuclídeos (SPECT ou PET): Técnicas de imagem com radionuclídeos são usadas para avaliar o fluxo sanguíneo e a função do coração. Os traçadores de radionuclídeos são usados para monitorar como o sangue é distribuído pelo coração e podem ser usados para calcular a fração de ejeção do ventrículo esquerdo.

    Essas modalidades de imagem são formas não invasivas e confiáveis de avaliar a função do ventrículo esquerdo. Não causam nenhum desconforto ou risco ao paciente e costumam dar resultados em pouco tempo.

    Importância Clínica da Fração de Ejeção

    A fração de ejeção é um parâmetro clinicamente importante e valioso de várias maneiras:

    • Avaliação da Função Cardíaca: A fração de ejeção é usada para avaliar a função de bombeamento do coração. Mostra como porcentagem a quantidade de sangue que o ventrículo esquerdo ejeta a cada batimento cardíaco. Isso ajuda a determinar a eficácia com que seu coração está funcionando.
    • Uso no diagnóstico de insuficiência cardíaca: A fração de ejeção é considerada um importante indicador no diagnóstico de insuficiência cardíaca. Uma fração de ejeção inferior ao normal pode indicar que o coração está bombeando o sangue de forma inadequada e tem risco aumentado de desenvolver insuficiência cardíaca.
    • Monitoramento do tratamento da insuficiência cardíaca: Em pacientes tratados com insuficiência cardíaca, o nível da fração de ejeção é utilizado para monitorar a eficácia do tratamento. Um aumento na fração de ejeção em resposta ao tratamento pode indicar que a condição do paciente está melhorando.
    • Avaliação do risco de eventos cardiovasculares: Uma fração de ejeção baixa pode indicar um risco aumentado de ataque cardíaco, morte súbita cardíaca e outros eventos cardiovasculares. Portanto, os pacientes com baixa fração de ejeção são frequentemente monitorados mais de perto e podem ser submetidos a regimes de tratamento mais agressivos.
    • Planejando procedimentos cardíacos: A fração de ejeção desempenha um papel importante no planejamento de cirurgia cardíaca ou outros procedimentos cardíacos. Em particular, pacientes com baixa fração de ejeção podem apresentar riscos cirúrgicos mais elevados.

    Por estas razões, a fração de ejeção é considerada um parâmetro crítico na avaliação, diagnóstico e planejamento do tratamento das doenças cardiovasculares.

    Usos do cálculo da fração de ejeção

    O cálculo da fração de ejeção tem muitas utilizações e desempenha um papel importante na avaliação e planejamento do tratamento de doenças cardiovasculares. Aqui estão alguns dos usos da fração de ejeção:

    Diagnóstico e Classificação da Insuficiência Cardíaca: A fração de ejeção é um parâmetro crítico no diagnóstico e classificação da insuficiência cardíaca. Uma fração de ejeção baixa pode indicar que o coração está bombeando o sangue de forma inadequada e tem risco aumentado de desenvolver insuficiência cardíaca.

    Gestão do tratamento da insuficiência cardíaca: Em pacientes tratados com insuficiência cardíaca, o nível da fração de ejeção é utilizado para monitorar a eficácia do tratamento. Um aumento na fração de ejeção em resposta ao tratamento pode indicar que a condição do paciente está melhorando.

    Avaliação do risco de doenças cardiovasculares: A fração de ejeção é considerada um importante indicador na avaliação do risco de eventos cardiovasculares. Uma fração de ejeção baixa pode indicar um risco aumentado de ataque cardíaco, morte súbita cardíaca e outros eventos cardiovasculares.

    Planejando procedimentos cardíacos: A fração de ejeção desempenha um papel importante no planejamento de cirurgia cardíaca ou outros procedimentos cardíacos. Em particular, pacientes com fração de ejeção baixa podem ter maior risco de cirurgia.

    Gestão da Terapia Medicamentosa: A fração de ejeção também é importante no manejo de medicamentos utilizados no tratamento da insuficiência cardíaca. Um aumento ou diminuição na fração de ejeção em resposta à terapia pode exigir ajuste do regime de tratamento.

    Estas áreas indicam que o cálculo da fração de ejeção desempenha um papel crítico na avaliação, planejamento de tratamento e acompanhamento de doenças cardiovasculares. Portanto, a medida da fração de ejeção é considerada um parâmetro importante na saúde cardiovascular.